"Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo." – Paulo Freire



sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Informe da Estadual do SINTE

 
SINTE/SC tem audiência com FCEE para
tratar sobre denúncias de assédio moral

Na tarde de quarta-feira (22/10), o SINTE/SC, através do Coordenador Estadual Luiz Carlos Vieira, do Secretário Geral Carlos Figueiredo e da Secretária de Organização Rosangela Barreiros, esteve reunido na Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), com o Diretor Administrativo Rubens Feijó, a Consultora Jurídica Ana Paula Darós e a Presidente da Associação dos Servidores da Fundação Elisete Vieira para tratar de diversas denúncias e reclamações de trabalhadores ligados a FCEE e as APAES conveniadas. Os casos que estão acontecendo, em várias regiões do Estado, vão desde processos administrativos, afastamentos e assédio moral sofrido pelos servidores.
De acordo com a Executiva do SINTE/SC, geralmente, nos processos, a culpa recai apenas nos professores/as, que acabam sendo punidos, enquanto os assediadores, em alguns casos, apenas são trocados de lugar. Os representantes da FCEE questionaram e disseram que também gestores são assediados. O Coordenador do Sindicato destacou que a entidade quer discutir, no sentido de minimizar tais situações, e que, mesmo atuando na defesa do trabalhador, não quer colocar panos quentes, “contudo, não podemos permitir chegar ao extremo”, afirmou Luiz Carlos Vieira.
Dentre tantos, dois casos que estão em andamento foram destacados na reunião: um no CAPs, que fica dentro das instalações da FCEE e outro na APAE de Xanxerê, ambos com graves desdobramentos, como processos administrativos, judiciais e risco para a integridade física de envolvidos.
Durante a reunião, os representantes do SINTE/SC solicitaram reunião com o presidente da FCEE, Eliton Carlos Verardi Dutra, e todos os envolvidos no caso do CAPs. Segundo informações repassadas ao SINTE, os funcionários estão com medo de falar, pois, além do assédio, existem outros problemas no setor.
O Coordenador do SINTE/SC afirmou que é necessário o diálogo entre os envolvidos, para evitar abertura de processos administrativos, para que não se alimente o ódio e as brigas dentro das instituições. A Secretária de Organização do Sindicato ressaltou que todos são seres humanos que erram e podem voltar atrás, contudo, professores estão sendo processados e exonerados por causa de diretores autoritários. Também, o Secretário Geral do SINTE destacou que, atualmente, as escolas não estão mais realizando as reuniões pedagógicas. Estes encontros entre os trabalhadores são de suma importância, para promover as relações pessoais entre os colegas, para falar dos problemas, questionarem-se frente a frente, dialogar. É o momento onde cada um pode colocar sua posição, tanto coordenação, quanto professores/as.
Sobre o caso de Xanxerê, o processo administrativo já está finalizado, faltando apenas a assinatura do presidente da FCEE. Mesmo assim, o SINTE/SC solicitou que os trabalhadores, mesmo antes do final do processo, sejam remanejados. Dada a gravidade da situação, que tomou grandes proporções na cidade, é preciso garantir a integridade física dos envolvidos. A FCEE afirmou que vai analisar as possibilidades.
A Consultora Jurídica da FCEE afirmou estar atuando em ambos os casos, e que tem conhecimento dos outros. Entretanto, diz que a instituição, muitas vezes, fica de mãos atadas, já que os/as presidentes da APAES e os pais é que indicam os Diretores e Coordenações e com o aval da Federação das APAES e a FCEE não pode interferir. Ela diz ainda que estão pensando em possibilidades de modificar os contratos de convênios, criando cláusulas ou critérios que tentem coibir o assédio moral sob pena da rescisão dos mesmos. Por fim, o Diretor Administrativo da Fundação se comprometeu em agendar encontro entre os envolvidos do caso do CAPs, SINTE/SC e o Presidente da FCEE.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Informe da CNTE

Em entrevista ao canal Terra, dia 20/10/2014, o candidato ao Governo do Rio Grande do Sul pela Coligação “O Novo Caminho para o Rio Grande” (PMDB / PSD / PPS / PSB / PHS / PT do B / PSL / PSDC), José Ivo Sartori, informou que não assinara documento apresentado aos candidatos (no 1º turno das eleições) pelo CPERS/Sindicato, onde havia uma questão sobre o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). O candidato teve dificuldade em lembrar a palavra “piso”, sendo ajudado pela própria produção do programa. Mas não titubeou na sua proposta para atender a reivindicação dos educadores: “O Piso, eu vou lá no Tumelero [loja de ferragens] e eles te dão um piso melhor [risos]”.
A CNTE reforça e se solidariza com a nota emitida pelo CPERS, pois entende que a histórica luta pela instituição – e, agora, pela efetivação – do PSPN merece respeito dos gestores e daqueles que disputam cargos públicos de tamanha responsabilidade, como é o caso dos governos estaduais.
RS: Nota de repúdio do CPERS a entrevista concedida pelo candidato Jose Ivo Sartori ao portal Terra, em 20/10/2014
O CPERS Sindicato manifesta estranheza e preocupação com o modo pelo qual o candidato ao governo do Estado, José Ivo Sartori, tratou o tema do Piso Salarial dos educadores, em entrevista concedida ao portal Terra (20/10/2014). Estivemos mobilizados nos últimos quatro anos para exigir do atual governo o cumprimento da Lei do Piso e seguiremos mobilizados no próximo governo, seja ele qual for.
Acreditamos que esse tema não deve ser objeto de chacota ou brincadeiras por conta de quem tem a responsabilidade de propor alternativas para qualificar a nossa educação e valorizar o trabalho dos educadores (as) e de todos os trabalhadores (as) em educação.
Somos educadores (as) e lutamos diariamente para oferecer um ensino de qualidade, mesmo com as adversidades da nossa profissão. Por isso, não admitimos que os trabalhadores (as) em educação sejam tratados com falta de educação e respeito.
O CPERS Sindicato é uma entidade de todos (as) os educadores (as) e, enquanto tal, não tem preferência partidária. Não podemos, entretanto, aceitar que postulantes ao governo do Estado brinquem com coisas sérias. Conclamamos a sociedade gaúcha a defender, junto conosco, o pagamento do Piso Nacional dos professores dentro do Plano de Carreira, medida essencial para garantir uma educação pública de qualidade.

Apoio: CUT, CTB, CNTE, SINPRO, SINTAE, FeteeSul

sábado, 18 de outubro de 2014

Regional do SINTE de Chapecó reúne professores e professoras para comemorar

Este sábado já se tornou especial. A Regional do SINTE de Chapecó reuniu professores e professoras, em animado almoço, para comemorar o Dia dos/as Professores/as, que foi em 15 de outubro. Veja cenas do grande encontro:
video
 

O que Paulo Bauer e Raimundo Colombo fizeram pela Educação em SC

Requerimento Imposto Sindical/2014

Basta Colombo!

Basta Colombo!

Filie-se ao SINTE/SC: Juntos, somos mais fortes!

Filie-se, diretamente, ao SINTE/SC - imprima e preencha a ficha de filiação abaixo, anexa uma cópia do seu contracheque, e encaminhe à Regional do SINTE:

Fique por dentro